• English
  • Português
  • Español
Crescimento com distribuição

Matrículas no ensino superior crescem mais de 120% no N e NE

Mais renda e mais empregos formais provocaram mais do que o crescimento do consumo no Norte e no Nordeste: outra consequência quase imediata foi a ampliação da perspectiva de vida e o desejo de um futuro melhor para as próximas gerações. Entre 2001 e 2012, o número de matrículas no ensino superior praticamente duplicou no Brasil. No Norte e no Nordeste o crescimento foi ainda maior: 285,15% e 211,70%, respectivamente, considerando variação do Censo do IBGE, incluindo matrículas em unidades públicas e privadas. Com esse crescimento, o Nordeste hoje é a segunda região com mais matrículas em ensino superior (19% em 2012), tendo ultrapassado a região Sul em 2008.

Atentos às exigências dessa parcela da população, os governos Lula e Dilma fizeram os investimentos que se esperava: das 208 escolas de ensino profissional tecnológico construídas a partir de 2011 ou em construção até 2014, 77 ficam no Nordeste. As quatro universidades federais criadas em 2013 pelo governo Dilma ficam no Norte e Nordeste do país: duas na Bahia, uma no Ceará e uma no Pará.

(Saiba mais em Educação)