• English
  • Português
  • Español

Publicidade oficial

Fortalecimento da mídia regional garante mais acesso à informação

O governo Lula implantou o conceito de mídia técnica, para definir o montante de verbas publicitárias ao qual cada veículo de comunicação tinha direito.

É importante lembrar que esses anúncios representam grande parte da publicidade de qualquer veículo de comunicação – mesmo os grandes. São recursos necessários, por exemplo, para divulgar as campanhas de vacinação, o período de matrículas para o Enem, o acesso à moradia por meio do Minha Casa, Minha Vida, além de diversos outros serviços que contribuem para que o cidadão usufrua plenamente de seus direitos.

Antes, os pequenos veículos raramente recebiam anúncios do governo, embora possuíssem toda a condições para levar à população informações de interesse público. Na maioria das cidades do interior e mesmo em diversas capitais, são justamente esses veículos que garantem ao cidadão o acesso às informações mais importantes para o seu dia-dia. Portanto, para falar com a maioria do público brasileiro, é não só importante, como necessário, anunciar nesses veículos.

Com a mídia técnica, a verba publicitária passou a ser proporcional à circulação ou audiência do veículo. Se uma emissora de televisão tem 20% de audiência em média, ela deve ter 20% da verba publicitária do governo federal para TV.

O resultado é que, ao longo dos governos do PT, a verba publicitária federal chegou a mais veículos e mais municípios. E, com isso, mais pessoas tiveram garantido o seu direito à informação pública. Os resultados  são expressivos. Em dez anos, o número de veículos de comunicação aptos a receberem publicidade do governo federal saltou de 499 (2003) para 9.663 (2013).

A mídia técnica e a regionalização da publicidade permitiram tanto a democratização das verbas publicitárias, quanto o acesso dos cidadãos a informações fundamentais para o seu dia-dia.