• English
  • Português
  • Español
Crescimento com distribuição

Incentivo à pesquisa e à inovação

 

R$ 1,7 bilhão em incentivo à inovação tecnológica

O Plano Agrícola e Pecuário 2014/2015 prevê a disponibilização aos produtores rurais de R$ 1,7 bilhão dentro do Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro), com juros subsidiados de 4% ao ano. Os produtores podem captar até R$ 1 milhão individualmente. O leque de itens financiáveis inclui desde serviços de consultoria até a compra de máquinas e equipamentos voltados à prática da inovação e à adoção de novas tecnologias. O Inovagro produz um círculo virtuoso: cria um incentivo para ampliar a tecnologia das propriedades, o que aumenta a competitividade e praticamente paga o investimento.

Confira os itens que podem ser financiados pela linha do Inovagro:

  • Aquisição, implantação e recuperação de equipamentos e instalações para proteção de cultivos inerentes ao segmento da olericultura, fruticultura, floricultura e cafeicultura.
  • Serviços de agricultura de precisão, desde o planejamento inicial da amostragem do solo à geração dos mapas de aplicação de fertilizantes e corretivos.
  • Máquinas e equipamentos para automação e adequação de instalações nos segmentos de avicultura, suinocultura e pecuária de leite.
  • Programas de computadores para gestão, monitoramento ou automação.
  • Consultorias para a formação e capacitação técnica e gerencial das atividades produtivas implementadas na propriedade rural.
  • Aquisição de material genético (sêmen e embriões), provenientes de doadores com certificado de registro e avaliação de desempenho ou, alternativamente, para pecuária de corte, o Certificado Especial de Identificação de Produção (Ceip).
  • Itens e projetos vinculados aos Sistemas de Produção Integrada Agropecuária PI-Brasil e Bem-Estar Animal, e aos programas Alimento Seguro das diversas cadeias produtivas, e Boas Práticas Agropecuárias da Bovinocultura de Corte e Leite.
  • Itens ou produtos desenvolvidos no âmbito do Programa de Inovação Tecnológica (Inova-Empresa).
  • Assistência técnica necessária para a elaboração, implantação, acompanhamento e execução do projeto, limitada a 4% (quatro por cento) do valor total do financiamento.
A conquista do cerrado pelo agronegócio, graças à Embrapa

Houve um tempo em que o cerrado era irrelevante para o agronegócio nacional. Servia “só pra fazer distância”, como dizia o povo. O cenário começou a mudar a partir da década de 1970, e hoje, o cerrado responde por 48,5% da produção do país, graças a tecnologias para correção da acidez do solo e a adaptação à região de plantas oriundas de outros biomas.

A revolução do cerrado é uma das maiores conquistas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em quatro décadas. Nos governos Lula e Dilma, o orçamento da estatal saltou de R$ 821 milhões, em 2003, para R$ 2,6 bilhões, em 2014. Na área de cooperação internacional, a Empresa atua diretamente em 22 nações africanas, além de manter programas em países latino-americanos, caribenhos e em Timor Leste. São ainda 78 acordos bilaterais com 56 países e 89 instituições estrangeiras, para o desenvolvimento de pesquisas em tecnologias de ponta.

• Embrapa: Ciência que transforma a vida

Agroenergia, clonagem, sequenciamento de genoma, plantas resistentes a pragas...

A Embrapa tem também em seu portifólio de inovações pesquisas na área de agroenergia, como o etanol de 2ª geração (a partir do bagaço e da palha da cana), tecnologias voltadas para a reestruturação de atividades agropecuárias em períodos de estiagem e desenvolvimento de variedades de plantas com resistência genética a pragas.

Entre os feitos mais notáveis da estatal estão a clonagem da bezerra Vitória, primeiro clone bovino da América Latina, em 2001, e o sequenciamento do genoma do café e o desenvolvimento do feijão resistente ao vírus do mosaico dourado, ambos em 2011.

• Para saber mais: Hotsite Embrapa 40 anos.

• Os Novos Rumos. Depoimento do presidente da Embrapa, Maurício Antonio Lopes